O início da jornada: o planejamento!


Se existe algo que se possa levar como ensinamento para a vida é que cada dia é especial a sua maneira.  Alguns dias são especiais porque coisas boas acontecem, outros são especiais porque coisas ruins acontecem e ficam guardadas na nossa memória por muito tempo. E ainda existem outros dias, que são especialmente monótonos e nos fazem pensar que o ser humano não foi feito para rotinas. A verdade é: nunca podemos viver o mesmo dia duas vezes e por isso devemos aproveitá-los ao máximo com sabedoria e com gratidão pela vida.

Pensando nisto, hoje eu quero começar a contar um pouco sobre a viagem que fiz nessas férias de início de ano. Minha mãe, minha irmã e eu resolvemos fazer uma viagem que há muito estávamos desejando e finalmente conseguimos nos planejar para ir. Como todo virgem no assunto “Viagens internacionais”, nós nos ocupamos de procurar toda e qualquer dica já colocada na face da internet para facilitar nosso planejamento e, agora que retornamos (com vida haha), eu resolvi fazer o mesmo para que outras pessoas possam se beneficiar destas informações.

            No post de hoje eu vou dar 2 (duas) dicas do planejamento que fizemos da nossa viagem, aproveitem e deixem dúvidas nos comentários!

            Bem, vamos lá! Nós fomos para 4 países: Inglaterra, França, Alemanha e Suíça. Vou contar um pouquinho de cada país e das nossas aventuras, espero que estas informações sejam de bom proveito e que vocês possam viajar junto conosco através dos posts!
Inicialmente nós pensamos em contratar uma agência de viagens devido a nossa falta de conhecimento e preocupação em como nos viraríamos sozinhas em outros países. Contudo, ao fazer o orçamento em uma das agências percebemos que gastaríamos o dobro do dinheiro que estávamos pretendendo para fazer metade das coisas que gostaríamos de fazer, então a primeira dica que eu deixo é: 

1. Saiba pra onde você quer ir e pesquise o que te interessa ver no local

Eu digo isso porque quando você não sabe o que quer ver em um determinado lugar você corre o risco de não ver nada de interessante e passar apenas onde o padre costuma passar, isto é, acaba-se vendo somente os pontos turísticos mais conhecidos (que geralmente já estão inclusos nos pacotes das agências) e perde-se todas as singularidades dos locais. Então, se você é fã de livros, procure as bibliotecas nacionais e veja se existe alguma que valha a pena conhecer... Gosta de filmes? Procure se alguma cena dos seus filmes favoritos foi gravada ou inspirada naquele lugar... Gosta de fazer compras? Procure os mercados municipais, galerias, shoppings e coisas do tipo! A internet é fantástica, afinal, você pode ver uma prévia dos locais pelo próprio Google Maps. Portanto, defina o lugar ou os lugares que você deseja conhecer e pesquise tudo o que conseguir sobre ele, deixe a viagem com a sua cara e eu garanto que ela será inesquecível!

2. Faça um orçamento

Esta é uma parte fundamental da viagem. Sem um orçamento é impossível calcular quanto você pode ou não pode gastar. Não seja iludido pelo desejo de ver tudo e conhecer tudo ao mesmo tempo, fazer um planejamento financeiro é o que vai garantir que você não se afunde numa dívida que não pode arcar depois. Então aí vão algumas dicas:

Faça uma planilha: É muito mais fácil organizar os valores num programa como o Microsoft Excel do que tentar fazer as somas na ponta do lápis (se é que alguém ainda faz isso). Estime tudo: diárias de hotéis, passagens aéreas, passagens de trem, passes para transporte público, alimentação, compras eventuais, ingressos para excursões e etc. Contabilize o máximo de coisas que se lembrar e assim que for comprando, vá substituindo os valores estimados da tabela pelos valores exatos que estão sendo pagos.

Fale com o seu banco: Lembre-se que parcelar no cartão de crédito nem sempre é a melhor opção. Se for necessário, veja a possibilidade de fazer um empréstimo no banco, pois às vezes, os juros do banco acabam sendo menores que o das parcelas do cartão de crédito. Veja também a possibilidade de fazer um upgrade no seu cartão. Os cartões Platinum geralmente possuem muitos benefícios para viagens, como incluir seguro viagem automático, ter convênios com hotéis, restaurantes e/ou ingressos para excursões, e muito mais.

- Leve dinheiro em espécie e faça um cartão pré-pago: leve pelo menos uma pequena quantia de dinheiro em espécie na moeda local. Por quê? Porque sempre existe a possibilidade de algo dar errado com o seu cartão, pois as máquinas de cartão de crédito são diferentes das nossas e algumas podem não reconhecer nossos cartões mesmo que não haja nada de errado com eles (pois é!). A ideia do cartão pré-pago é ter dinheiro de plástico. Você coloca uma quantia definida e pode recarregar quando o saldo tiver acabado. Isso é interessante porque quando você paga com este cartão é como se fosse o cartão de débito. Lembre-se que como sua conta é brasileira, não existe a opção débito fora do país e mesmo que ela apareça na maquininha para ser selecionada, a compra vai ser passada no crédito porque o sistema do país não tem acesso à sua conta no Brasil. As compras feitas no crédito vão ser pagas juntamente com a fatura do cartão, onde o valor será referente a cotação do câmbio do dia para a moeda local e cobrado o IOF, o “Imposto sobre Operações Financeiras”. É um pouco complexo, mas o banco pode te esclarecer melhor essa questão.

E então, o que acharam?

Nos próximos posts vamos falar sobre diversas coisas, como passagens, hotéis, sobre os lugares e muito mais! Até!

Postagens mais visitadas